Bibliografia / Bibliography

 

ALMEIDA, Henrique. Arqueologia vs desenvolvimento? Sobre as margens de um rio que ecoa. Máthesis, v. 5, pp. 213-235. 1996.

AMBIENTE ONLINE. Polêmica acompanha construção de barragens. Ambiente on line. 12 mar. 2009.

ARAÚJO, Hélio (Realização); COMSOM (Produção). Foz Côa. As figuras não sabem nadar. Documentário. Youtube. 13 mar. 2013. [Arquivo de vídeo].

BAPTISTA, António M. Vale do Côa no público. Tempo de balanço. Da Finitude do Tempo, blog. 1 dez. 2008.

CAFÉ PORTUGAL. Foz Côa - população não esquece a barragem que nunca existiu. Café Portugal. 28 jul. 2010.

CALDWELL, Duncan. A Call to arms to save the largest open-air assemblage of Upper Paleolithic art in Europe from being drowned now behind a rising dam at Foz Côa. Duncan Caldwell. 2014.

DIÁRIO DA REPÚBLICA. Decreto n. 6/2013. 1a. série, n. 86. 6 mai. 2013.

DIÁRIO DA REPÚBLICA. Decreto-Lei n. 35/2011, Ministério da Cultura. 1a. série, n. 47. 8 mar. 2011.

DUARTE, Álvaro Francisco Noronha Soares. Barragens e albufeiras em Portugal. Usos da água, preocupações ambientais e ordenamento do território. Caso de estudo: Albufeira de Foz Tua. Dissertação de mestrado em Gestão do Território, Área de Especialização em Ambiente e Recursos Naturais. Faculdade de Ciências Sociais e Humanas-FCSH daUniversidade Nova de Lisboa-UNL.Set. 2013.

FERNANDES, Francisco; RIBEIRO, Inês; MEIRA, Teresa. Foz Côa dam at Guarda, Portugal. EJOLT Atlas. Projeto Environmental Justice Organisations Liabilities and Trade. 2015.

FERREIRA, Maria de Fátima; GONÇALVES, Maria Eduarda; COSTA, Ana. Conflicting values and public decision: The Foz Côa case. Ecological Economics, v. 86, pp. 129-135. 2013.

FOZ CÔA FRIENDS. Site. Associação Foz Côa Friends, blog. 2015.

FUNDAÇÂO CÔA PARQUE. Site. Fundação Côa Parque. 2015.

GOMES, Rui T. O caso de Foz Côa: percurso de um símbolo na definição de políticas culturais em Portugal. Agora. 2013.

GONÇALVES, Maria Eduarda O caso Foz Côa. Um laboratório de análise sociopolítica. Lisboa: Edições 70. 2001.

GONÇALVES, Maria Eduarda (2003), Imagens públicas da ciência e confiança nas instituições: os casos de Foz Côa e da co-incineração. pp. 157-198. In: GONÇALVES, Maria Eduarda (org.). Os portugueses e a ciência. Lisboa: Publicações Dom Quixote. 1997.

INFOPÉDIA. Gravuras rupestres de Vila Nova de Foz Côa. Infopédia.pt.Ago. 2014.

LAVOURA, Luís. Movimento Liberal Social. O tabu da barragem de Foz Côa. Movimento Liberal Social, blog. Ago. 2014.

LIMA, Alexandra. Parque Arqueológico do Vale Do Côa. Visitas, ordenamento e desenvolvimento. O tempo e o número. CÔAVISÃO, n. 9, cap. 1. 2007.

LUSA. Entidades ligadas ao património ouvidas no parlamento esta quarta-feira sobre gravuras do Côa. Sapo 24. 14 jun. 2017.

LUSA. Governo pondera barragem Foz Côa como alternativa ao petróleo. RTP Notícias. 22 out. 2004.

OOCITIES. Form the dam to the park. Special Côa: Palaeolithic rock engravings at Vermelhosa, Côa Valley archaeological park.OoCities.org. S.d.

PAeM. Foz Côa: as gravuras não sabem nadar. Portugal: Ambiente em Movimento. 2016.

PROPINAZERO. Bagarre au barrage. Youtube. 21 nov. 2014. [Arquivo de vídeo].

MUSEUDOCOA. Horizontes da memória Foz Côa gravuras e não só. Youtube. 26 jun. 2013. [Arquivo de vídeo].

MUSEUDOCOA. Perdidos e achados. Foz Côa 13 anos depois. Youtube. 16 jul. 2013. [Arquivo de vídeo].

MUSEUDOCOA. Foz Côa as figuras não sabem nadar. Youtube. 13 mar. 2013. [Arquivo de vídeo].

MUSEUDOCOA. Uma visita ao Parque Arqueológico do Vale do Côa/A visit to the Côa Valley Archaeological Park. Youtube. 4 jun. 2014. [Arquivo de vídeo].

PEREIRA, Sandra Isabel Silva. Novas formas de profissionalismo em contexto de incertezas. O caso do Foz Côa. Dissertação de mestrado em Sociologia do Trabalho. Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa-ISCTE. Mar. 2000.

PETIÇÃO PÚBLICA. Um não de cidadania contra a construção da barragem de Foz Côa - O Douro hem? É interessante, tem grandeza. Jun. 2014.

PEV. 30 anos de lutas ecologistas (1982-2012), Partido Ecologista Os Verdes-PEV. 2012.

PROPINAZERO. Bagarre au barrage. Youtube. 21 nov. 2014. [Arquivo de vídeo].

RAMALHO, Maria; ARNAUD, José Morais. Arte rupestre do vale do Côa: que futuro para este Património da Humanidade? Público. 21 abr. 2016.

RTP. CONTRA: Foz Côa. Youtube. 31 mar. 2008. [Arquivo de vídeo].

SANTOS, Maria de Lourdes Lima dos. Recensão ao livro: O caso de Foz Coa: um laboratório de análise sociopolítica. Sociologia. Problemas e Práticas. n. 37, pp. 169-172. 2001.

SILVA, António José Marques. A batalha do Côa. As gravuras paleolíticas do Vale do Coa. Centro de Instrumentação-CI.Universidade de Coimbra-UC. 1996.

SILVA, António J. M. As gravuras paleolíticas do Vale do Côa. Coimbra: Instituto de Arqueologia da Universidade de Coimbra-UC. mar. 1996. 

TAVARES, Bruno Ribeiro. O ambiente e as políticas ambientais em Portugal: contributos para uma abordagem histórica. Dissertação em Cidadania Ambiental e Participação daUniversidade Aberta de Lisboa-UAb. jul. 2013.

UNESCO. Prehistoric rock art Sites in the Côa Valley and Siega.UNESCO/NHK. Youtube. 20 mai. 2014. [Arquivo de vídeo].

WIKIPÉDIA. Prehistoric rock-art Site of the Côa Valley. Wikipédia.pt. 2017.

WIKIPÉDIA. Vila Nova de Foz Côa. Wikipédia.pt. 2017.

 

30 jun. 2017.