Bibliografia / Bibliography

 

AMIERO, Marco. Voices, clues, numbers: roaming among waste in Campania. Capitalism Nature Socialism, v. 24, n. 4, pp. 7-16. 2013.

APA. Plano Estratégico para os resíduos urbanos 2014-2020 (PERSU 2020). Agência Portuguesa do Ambiente-APA. 19 fev. 2015.

CACHÃO, Fernanda. Breve história do (mau) ambiente em que vivemos. Correio da Manhã-CM. 26 fev. 2017.

CERQUEIRA, Marta. Portugal desperdiça cerca de 100 milhões de euros por ano em matéria orgânica. Jornal i. 9 fev. 2017.

ENTITLE COLLECTIVE. Political Ecology for civil society manual. Entitleblog.org. 11 jul. 2016.

FAROL DE IDEIAS. Biosfera 539 - Resíduos sólidos urbanos: metas para 2020. Vimeo. 7 jan. 2017. [Arquivo de vídeo].

FERNANDES, Francisco; COSTA, Inês; MEIRA, Teresa. Multiple landfill sites, Portugal. EJOLT Atlas, Projeto Environmental Justice Organisations Liabilities and Trade. 2015.

FERNANDES, Lúcia de Oliveira. O processo decisório da localização de um aterro de RSU: o caso de Sermonde. Dissertação de mestrado em Políticas ambientais na Secção Autónoma de Ciências Sociais, Políticas e Jurídicas da UA-Universidade de Aveiro. 2006.

FIGUEIREDO, Elisabete; FIDÉLIS, Teresa; No Meu Quintal Não! Contributos para uma análise dos movimentos ambientais de raiz popular em Portugal 1974-1994. v. 65, pp. 151-173. 2003.

GARCIA, Ricardo. Deposição de lixo em aterros desceu na UE mas subiu em Portugal. Público. 19 jan. 2011.

JERÓNIMO, Paulo; LIBERATO, Manuel; TERRA, Guilherme. Governo avança para a descontaminação de vários aterros. RTP Notícias. 16 abr. 2014.

LUSA. Gestão de resíduos é insatisfatória, CE quer incentivos na prevenção e reutilização. RTP notícias. 6 fev. 2017.

MARQUES, Maria João de Almeida e Sousa Marques. Predicting and minimizing opposition to municipal solid waste landfills siting. Tese de doutoramento em Engenharia do Ambiente.FCT-Faculdade de Ciências e Tecnologia da UNL-Universidade Nova de Lisboa. 2012.

NAVES, Filomena; COELHO, Rute. Resíduos não constituem qualquer risco e podem ser reciclados. Diário de Notícias-DN. 3 dez. 2016.

NUNES, João Arriscado; MATIAS, Marisa; COSTA, Susana. Risco, incerteza e conflitos ambientais em Portugal. Atas do V Congresso Português de Sociologia. UM-Universidade do Minho. 2004.

NUNES, João, Arricado; MATIAS, Marisa; COSTA, Susana. Household waste management and public accountability in Portugal: the case of the Taveiro landfill. Centro de Estudos Sociais-CES. 2005.

NTVALE. Saiba a diferença entre lixão e aterro sanitário. Youtube. 17 abr. 2012. [Arquivo de vídeo].

PAeM. Não nos Lixem! RSU em Portugal: políticas e protestos. Portugal: Ambiente em Movimento-PAeM. 2017.

PARREIRA, José. Aterro do Oeste divide autarcas do PS e oposição. Público. 18 jan. 2000.

PE. Resíduos urbanos: metas de reciclagem mais ambiciosas para uma economia circular. Sessão Plenária. Parlamento Europeu-PE. 10 mar. 2017.

PIMENTEL, Ana Maria. Açores são os melhores e os piores a reciclar. Expresso. 23 out. 2016.

PINTO, Raquel. Portugal só recicla 12% do lixo municipal. Expresso. 28 mar. 2012.

QUEIRÓS, M.; VALE, M. Desafios ambientais e compromissos industriais: uma geografia dos resíduos. III Congresso da Geografia Portuguesa, pp. 19-36, set. 1997. Lisboa: Edições Colibri e Associação Portuguesa de Geógrafos. Porto, 1999.

RUSSO, Mário Augusto Tavares. Tratamento de resíduos sólidos. Faculdade de Ciências e Tecnologia, Departamento de Engenharia Civil daUniversidade de Coimbra-UC. 2003.

VELOSO, Cátia. Resíduos e inertes da obra da Alameda da Estação depositados em aterros ilegais. O Notícias da Trofa. 14 fev. 2017.

XARÁ,Susana. Incineração de resíduos em Portugal. Debater a Europa. Periódico do CIEDA e do CIEJD, em parceria com GPE, RCE e o CES20, n. 1. jun./dez. 2009.

 

30 jun. 2017.